terça-feira, 15 de novembro de 2016

Cenas de Gaja #3

Hoje vou dar uma de má língua.
Eu posso. Afinal de contas este espaço é meu. E apetece-me!

O tema é  a compra e venda de artigos usados. Parece que é algo que está completamente na moda. 
O que não falta nas redes sociais são grupos de vendas e/ou trocas de usados. E pelo que tenho percebido têm também aparecido lojas por aí com tudo e mais algumas coisa em segunda mão (roupa, puericultura, loiças, ferramentas, etc)
Sinceramente?
Não tenho nada contra. Acho muito bem que se há lá para casa um CD de música que já não se ouve, um candeeiro que já não condiz com a decoração nova, uma playstation que já foi substituída pelo modelo mais recente ou até uma mesa de cozinha que se tornou pequena para a família, se possa ganhar uns trocos com isso. É uma forma de poupar/juntar/ter um rendimento extra em casa e, ao mesmo tempo, evitar alguns males:

  1. Que o artigo (que já não serve) fique lá para um canto da arrecadação a ocupar espaço e a apodrecer sem ter qualquer utilidade;
  2. Que se vá entupir os caixotes do lixo da Câmara Municipal e, consequentemente, a via pública de monos que até se podem danificar antes que alguém os consiga aproveitar;
  3. Pode existir, algures no mundo, alguém que precise daquilo que nós já não queremos mas que não tem a disponibilidade financeira necessária para o adquirir novo.
Na minha opinião matam-se alguns coelhos de uma cajadada só.
[Nunca me tinha apercebido o quão violenta esta expressão é, até escrevê-la!]

Até aqui tudo bem. Eu própria faço parte de alguns grupos de compra e venda nas redes sociais (o que às vezes até me proporciona momentos de pura comédia) e até já tentei vender algumas coisas - sempre sem sucesso (está tudo na arrecadação)!


 

Acontece que nisto das vendas  de usados há quem ultrapasse todos os limites. É o vale tudo!
Meus amigos... vender usados não é vender a cair de velhos, quase podres, mesmo prontos a ir para o lixo. É que vejo anúncios que me deixam completamente boquiaberta de tão espantada que fico com a coragem de algumas alminhas.
Quem é que vai querer comprar, por exemplo, 4 pares de sapatos que, pela foto, têm pelo menos 5 anos de uso (e estou a ser meiga)? E o mais incrível é que o anunciante nem se deu ao trabalho de os limpar ou deixá-los minimamente decentes para a foto: a parecerem mais novos e menos decadentes pelo menos.
Nunca na vida seria capaz de tentar vender algo assim. Nem dar, quanto mais vender! Acho isso de muito mau gosto.

Quando dou roupa ou sapatos certifico-me de que estão em condições. Há, certamente, quem não tenha possibilidades financeiras para comprar, mas também não têm que andar tipo "desgraçados".
Quando uma camisa está velha, faço panos para o pó (o Bernardo já me perguntou se não tenho dinheiro para comprar panos). Mas, se uma camisa simplesmente já não é usada porque já não gosto ou não me serve, vou dá-la (ou doá-la) a quem possa precisar. Afinal de contas está em bom estado.

O incrível da coisa é que vejo anúncios deste tipo quase todos os dias e este dos sapatos deixou-me mesmo impressionada. Também já vi anúncios de roupas com ar de quem está a pedir a reforma por invalidez ou móveis completamente escavacados e que aparentam desmontar-se ao primeiro contacto físico - e por preços inacreditáveis (leia-se: exorbitantes).

Acho ainda impressionante quando os anunciantes têm coragem de escrever "como novo" ou "em muito bom estado" ou ainda "usado só uma vez" quando se nota perfeitamente que a peça, de novo não tem nada e que estima também não conheceu nenhuma!

Será que alguém compra? Ou será que sou eu que sou esquisita demais? 
Sei que sou esquisita o suficiente para não comprar roupa e sapatos que foram usadas por alguém que não conheço de parte alguma (também nunca tive necessidade).
Móveis, por exemplo, preciosismo ou não, compro quando posso comprar novo. Mas claro não digo "desta água não beberei".

4 comentários:

  1. Eu confesso que nunca comprei nada usado...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não.
      Não tenho problemas em ficar com coisas das minhas irmãs ou da minha mãe (às vezes damos umas às outras) mas comprar coisas usadas de terceiros faz-me alguma confusão.

      Eliminar
  2. Também nunca comprei nada usado! Mas mesmo quando dou roupa ou sapatos faço sempre como tu e certifica-mo que ainda está em condições para ser usado por outras pessoas.

    www.anafernandes.ch

    ResponderEliminar

Diz-nos o que achaste. O teu comentário é sempre bem-vindo.
Obrigada pela visita!