domingo, 27 de novembro de 2016

Os meus filhos são uns anjos!

Há umas semanas fui com os miúdos ao aniversário de uma amiguinha. 
Quando cheguei, ao verem a Maria Inês com o seu ar angelical, super sossegada, dois amigos meus fizeram exactamente o mesmo comentário: "E dizes tu que ela é má?! É tão sossegadinha!"

Correção: eu nunca disse que a minha filha era "má" (e aqui no contexto "má de dormir", etc, claro). Eu apenas relatei-vos os dias complicados por que estávamos a passar já que a Maria Inês, de repente, queria estar sempre acompanhada e não se distraía com nada.

Ora eu não quero, de forma alguma, passar uma ideia má dos meus filhos e espero que não vos tenha induzido em erro. Apesar de tudo - dos dias em que não consigo fazer nada, dos dias em que ando a bater com a cabeça nas paredes ou a cair para o lado, dos banhos que não consigo tomar, etc. - eu posso dizer-vos que os meus filhos são verdadeiros anjos! 😀



O Bernardo tem um pancadão do caraças, eu sei. Aliás, nós sabemos melhor que ninguém e até nos divertimos imenso com isso. Acabamos por brincar com ele em algumas situações e explicar-lhe como as coisas realmente são.
Em bebé deu-nos uma única noite má e já tinha 6 meses! E a culpa foi minha que me lembrei de comer uma bolacha com chocolate antes de lhe dar de mamar (parou-me o cérebro!).
É preguiçoso para fazer os trabalhos de casa e faz-nos mesmo perder a paciência. Não gosta de se pentear e acha que manda na roupa que veste. É ansioso demais (acho que nem eu sou tanto) e quando mete uma coisa na cabeça, nem dorme a pensar no assunto!
Apesar de tudo isto o Bernardo é a criança mais meiga que conheço - adora crianças mais pequenas e animais; não fala mal nem trata mal ninguém. É educado em todo o lado (tirando as vezes que está em modo Índio com a prima, mas isso eu nem considero má educação e sim "ser criança saudável"). Tem um coração tão bom e ingénuo (sai à mãe) que levou miniaturas do Lidl repetidas para a escola e, em vez de trocar pelas que não tinha, ofereceu a um colega!



A Maria Inês só tem 5 meses de vida e consegue destabilizar o nosso dia, é verdade. Nunca sabemos o que nos espera: pode acordar com carências e estar a pedir companhia a toda a hora. Há dias que dorme bocadinhos de cada vez - 20 minutos agora, mais 15 daqui a uma hora... são dias perdidos. Chega a um ponto que já está com uma rabugisse enorme porque não dormiu nada de jeito.
Mas também tem muitos dias em que está sempre super bem disposta e calminha. "Conversa" e brinca connosco, ri à gargalhada... e depois dorme, acorda para comer e dorme outra vez; come e volta a dormir - um verdadeiro anjinho! Eheh.





Já ouvi imensas histórias de bebés de choram muito e os pais passam noites a fio em branco sem conseguirem perceber o que se passa; ou bebés que simplesmente não dormem e os pais têm que ir dar uma volta de carro com eles para adormecerem. Fico parva com a quantidade de gente que faz isto. Nunca imaginei e acredito que o desespero fala mais alto e há alturas em que vale qualquer coisa por uma hora de descanso, principalmente à noite. Nós nunca tivemos necessidade disso e esperamos nunca vir a ter (e atenção que não estou a criticar).
Apesar de ter noites mais cansativas (e confesso que não durmo mais porque me deito tarde), nunca passámos noites inteiras em branco e nem posso dizer que algum dos meus filhos passasse a vida a chorar desalmadamente. Sim, têm birras (falo em relação a bebés) e rabugisses, seja por sono ou algum tipo de dor mas não nos podemos queixar.

Neste sentido acho que somos uns privilegiados, apesar de tudo. E por isso é que vos digo que, tendo em conta histórias que ouvimos de outros pais, nós nem temos razão de queixa. 
Acho mesmo é que o problema é estarmos mal habituados e quando surge um dia mais "puxado", achamos que é o fim do mundo!    


2 comentários:

Diz-nos o que achaste. O teu comentário é sempre bem-vindo.
Obrigada pela visita!